Orçamento do Município de Alijó tem dotação de 100 euros para requalificação da Rua António Manuel Saraiva

Junta de Freguesia considera esta situação uma "afronta" aos pinhoenses

Pinhão 28-11-2018

A Junta de Freguesia do Pinhão mostrou o seu desagrado pelo facto do orçamento municipal aprovado esta quinta-feira na Assembleia Municipal de Alijó atribuir uma dotação de apenas 100 euros para a Requalificação da Rua António Manuel Saraiva, obra que tem sido amplamente referenciada como estratégica para o concelho e para a região.

Sandra Moutinho, deputada municipal por inerência das funções de Presidente da Junta de Freguesia do Pinhão, lamentou publicamente esta quinta-feira, no decurso da Assembleia Municipal, que a Rua António Manuel Saraiva e a vila do Pinhão continuem a não ser prioridades para o Municipio. A autarca recordou que, ao longo dos anos, as dotações atribuídas a esta intervenção tenham vindo a ser sucessivamente reduzidas e que os esforços para assegurar financiamento comunitário não tenham sido suficientes. Considera ainda que a abertura de um artigo no orçamento para atribuir uma dotação de 100 euros constitui uma “afronta” aos pinhoenses que têm vindo a reclamar a intervenção há vários anos: “esta intervenção não pode ser tratada no orçamento como um tecnicismo contabilístico”

Estando em curso a elaboração do Plano de Pormenor na Rua António Manuel Saraiva, que abrange igualmente a Avenida Marginal, Sandra Moutinho defendeu que este instrumento de gestão territorial dará orientações para a área de intervenção, no plano urbanístico. Acrescentou que a requalificação do espaço público em si da Rua António Manuel Saraiva é um assunto que pode ser tratado em paralelo, dada a urgência. Depois da apresentação pública de 2017 liderada pelo atual Presidente da Câmara e da sua recente entrevista que anunciava em 2019 um investimento na ordem dos 4 milhões, a Presidente da Junta de Freguesia não pode deixar estranhar uma dotação de 100 euros no orçamento: “isto só pode significar que o Municipio não considera esta obra prioritária e não está em condições de assegurar, num hipotético quadro comunitário, a componente de financiamento local”.

O orçamento foi aprovado apesar do voto contra da Presidente da Junta de Freguesia do Pinhão.

A Assembleia Municipal ficou ainda marcada pela apresentação de uma declaração de interesses designada “O Pinhão não pode esperar mais” aprovada unanimemente no passado dia 20 de novembro na Assembleia de Freguesia do Pinhão e subscrita pelos membros com assento nesse órgão: Anabela Diegas e André Rodrigues (PS), Pedro Perry e Arminda Martins (CDU) e Tiago Vieira (PSD). O documento, que se referia às intervenções urgentes que a vila do Pinhão necessita para além da sua rua principal e que ficaram evidentes nas últimas intempéries, foi entregue pelo deputado municipal, Pedro Espírito Santo (PS). Consulte o documento aqui.